Ovi -
we cover every issue
newsletterNewsletter
subscribeSubscribe
contactContact
searchSearch
Status: Refugee - Is not a choice  
Ovi Bookshop - Free Ebook
Join Ovi in Facebook
Ovi Language
EU-MAN's Universal Colours
Stop violence against women
Murray Hunter: Opportunity, Strategy and Entrepreneurship
Stop human trafficking
 
BBC News :   - 
iBite :   - 
GermanGreekEnglishSpanishFinnishFrenchItalianPortugueseSwedish
Mas porque diabos a Finlandia? Mas porque diabos a Finlandia?
by Monica Vasku
2012-06-25 10:32:19
Print - Comment - Send to a Friend - More from this Author
DeliciousRedditFacebookDigg! StumbleUpon

Mas porque diabos a Finlândia?

monica01_400Hoje vou escrever sobre a Finlândia, esse país para muitos desconhecido. Sim, muita gente nem sabe que a terra do Papai Noel existe. Lembro que uma vez, isso já deve ter uns dez anos, eu esqueci o código daqui e queria ligar para a minha avó. Liguei para a operadora telefônica: "Olá, você poderia por gentileza me informar o código da Finlândia?". A resposta: "Finlândia? hahahaha, não atendemos a trotes senhorita... tum tum tum".

Pois é, o nome é exótico e o país talvez tenha começado a aparecer mundialmente mais recentemente, talvez pelo destaque de empresas como a Nokia e pela que representa o jogo Angry Birds. Outras coisas que destacam este país, além de ser a terra em que o papai Noel teria nascido - se ele existiu de verdade, são pesquisas que o apontam como detentor da melhor educação mundial (cerca de 90% das pessoas são alfabetizadas), como a país menos corrupto e assim por diante.

Muitos me perguntam porque diabos eu vim para a Finlândia e o que pretendo fazer aprendendo essa língua que só cinco milhões de pessoas falam em todo o mundo. A primeira resposta é um pouco óbvia para quem me conhece: meu pai é finlandês e minha nacionalidade me traz muitos benefícios. Mas agora, que já vivo aqui, posso dizer que mesmo que eu não tivesse essa ligação ancestral com este país, certamente, eu o escolheria para investir alguns anos de minha vida.

Educacão

Falando mais especificamente sobre educação, caramba, o que acontece aqui é inacreditável. Permitam-me me monica03_400prolongar um pouco nesse tema. Quando uma criança nasce o governo paga para a mãe ou para o pai um salário para que ele ou ela possa ficar em casa cuidando do bebê, até os três anos de vida. Os pais também recebem um kit com tudo que a criança precisa. Vale destacar que até os 17 anos as pessoas nascidas aqui recebem cerca de 100 € por mês depositados na conta bancária da mãe. A partir dos nove meses, se os pais quiserem, o bebê pode ir para uma creche, que também é gratuita se os pais estiverem sem condições de pagar. Na creche há médicos, refeições...

Então, ao completar sete anos, a criança vai para o "peruskoulu", equivalente ao ensino fundamental do Brasil. Lá absolutamente tudo é gratuito. Material escolar, refeição, uniforme, tudo. No peruskoulu as crianças também aprendem inglês e outras línguas e existem escolas em que o ensino é exclusivamente em inglês, e elas também são de graça.

Terminado o peruskoulu os adolescentes escolhem ir para o lukio (ensino médio) ou para o ammattikoulu (escola profissionalizante). E adivinhem, tudo de grátis. Aí vem a universidade que também é gratuita e, se o jovem tiver má condição financeira, ainda recebe uma bolsa do governo.

Quem se muda para a Finlândia já na fase adulta da vida é encaixado no "programa de adaptação". A pessoa é encaminhada para uma escola (gratuita) onde passa nove meses aprendendo a língua local e depois é encaminhada para um estágio para poder praticar o que aprendeu e, em muitos casos, acaba sendo contratada. Durante esse período, em que está na escola de finlandês, o imigrante recebe um salário do governo de 750 euros. Mas aqui é lei que você deve ter no mínimo uns 400 euros pra viver, fora o pagamento das contas, então o governo ainda complementa esse dinheiro para que você possa pagar aluguel, conta de luz, etc...

Acabado o curso de Finlandês a pessoa que não tiver formação profissional de seu próprio país pode ir para o MAVA, que é um curso que prepara o imigrante para entrar em uma escola profissionalizante ou na universidade.

Outros benefícios

Prossigo falando um pouco sobre outros setores que se destacam na Finlândia. Transportes, por exemplo. Aqui você pode fazer um cartão e pagar por mês 44 euros pra usar infinitas vezes ônibus, trem, metrô, bonde e balsa. Os veículos têm poltronas acolchoadas, aquecimento pro inverno e a maioria já tem ar condicionado pro verão. Os ônibus passam pontualmente na hora em que está marcado na tabela fixada no ponto - e na internet - e, se você não tiver o cartão, pode comprar uma passagem única por 2,20 euros via celular ou em máquinas espalhadas pela cidade - sendo que ela tem duração de 1h20. Se você quiser comprar a passagem dentro do ônibus ela sobe pra 2,70. Fora que as ruas são completamente organizadas para os ciclistas. Mais um detalhe: se você quer ir para um destino, mais não sabe como, é só entrar na internet e colocar os endereços de partida e chegada. Após clicar no botão a empresa de transporte lhe mostra três opções de deslocamento com todos os tempos de duração.

monica02_400Na saúde a situação também é boa. Quase todos os bairros possuem centros de saúde equipados com laboratório, consultórios médicos e dentários. Os atendimentos são marcados por telefone e você deve pagar 13 euros nas três primeiras consultas, as próximas são gratuitas. Mas surpresa, se você for desempregado, ou estiver só estudando, o governo paga a conta pra você, assim como paga todos os remédios. Se você precisar ir para o hospital a diária é de 30 euros, independente do que você precisar, cirurgia no coração ou curativo no dedo. Se você precisar ficar internado, depois de um período a cobrança é cancelada. Se você for desempregado o governo também paga a conta do hospital. Nos casos de emergência chamamos a ambulância e eles dão todo o socorro e, só depois que você já está no hospital, é que perguntam quem é você e se você tem o seguro do governo.

Todas as ruas são iluminadas, a neve não fica acumulada no inverno e violência é coisa realmente rara.

Quem sustenta esse sistema?

O imposto na Finlândia é pago por todo cidadão que possua renda e é descontado mensalmente direto do salário ou benefício da pessoa. O valor mínimo é de 20 %, e, como no Brasil, após um ano recebemos parte deste valor de volta. Quanto maior o salário, maior a porcentagem descontada.

Relação Brasil x Finlândia

Agora chego no ponto em que pretendo justificar porque, para mim, aprender finlandês não é definitivamente uma perda de tempo. Para isso vou usar o exemplo da Indústria Naval. A Finlândia é o país que detém a mais avançada tecnologia para fabricação de navios em todo o mundo. Segundo pesquisas de meu marido, Douglas Machado, o Brasil recentemente começou a implantar sua própria Indústria Naval e todos os anos dezenas de brasileiros tem sido enviados para cá, onde aprendem com os finlandeses.

Ora, não é difícil raciocinar que, nessa área e em outras em que Brasil e Finlândia têm firmado parcerias, quem domina as duas línguas vai se sair beneficiado. E olha que conhecendo os finlandeses o domínio da língua por um estrangeiro é motivo de muita admiração e simpatia, porque realmente demanda dedicação.

Para comprovar a informação da crescente relação entre os dois países, recentemente o primeiro-ministro da Finlândia, Jyrki Katainen, foi ao Brasil acompanhado de uma delegação de cem representantes de empresas finlandesas “de altíssima qualidade que estão interessados no mercado crescente brasileiro”. O primeiro-ministro defendeu uma relação comercial "mais profunda" com o Brasil. Segundo ele, as empresas finlandesas “veem com muito fascínio o crescente mercado brasileiro”.

Um conto de fadas

Fora a qualidade de vida, morar aqui pode ser considerado um conto de fadas. Essa história das estações serem bem definidas promove experiências muito agradáveis e bonitas para mim pelo menos, uma pessoa romântica. Na primavera as flores são de tirar o fôlego e podemos andar pelos bosques e colher algumas para enfeitar nossas casas. No verão, vamos às florestas colher frutas como morango e framboesa, encontramos animais como esquilos, coelhos e raposas, e nos banhamos nos cerca de 190 mil lagos que estão espalhados pelo país. Também tem praias, uma delas acompanhada de um cenário antigo de um forte construído na época da guerra.

No outono passeamos pelos bosques cobertos de folhas amarelas e colhemos cogumelos. No inverno (onde todos os ambientes são bem quentinhos) brincamos com a neve e nos esquentamos nas tradicionais saunas finlandesas e depois mergulhamos nos lagos congelados para melhorar a circulacão (eu na verdade nunca me joguei no lago não). Falando um pouco mais sobre a sauna, sabiam que ela é e origem finlandesa? Por aqui há mais de três milhões delas e cada casa e prédio possui uma. Antigamente as saunas eram o lugar onde as mães tinham seus filhos. A Finlândia ainda possui mais área verde do que áreas habitadas e, até no centro, há florestas onde as pessoas praticam seus esportes, meditam ou simplesmente passeiam com seus familiares.

Morar por aqui para mim tem sido uma experiência única e muito enriquecedora. É claro que também vejo problemas nesta sociedade, mas esse tema fica para outro texto. Fica a dica, quem estiver programando uma viagem à Europa pode tentar fugir um pouco dos destinos de sempre e vir descobrir esse lugar um pouco esquecido mais ao norte, mas que guarda muitas surpresas agradáveis, como a casa do Papai Noel na cidade de Rovaniemi. Ele fica lá todos os dias do ano esperando pela visita daqueles que querem viver um pouco da magia que habita este lugar.

****************************************************************

Fotógrafo: Roland Helerand


      
Print - Comment - Send to a Friend - More from this Author

Comments(0)
Get it off your chest
Name:
Comment:
 (comments policy)

© Copyright CHAMELEON PROJECT Tmi 2005-2008  -  Sitemap  -  Add to favourites  -  Link to Ovi
Privacy Policy  -  Contact  -  RSS Feeds  -  Search  -  Submissions  -  Subscribe  -  About Ovi